quarta-feira, 18 de março de 2009

Adeus a Clô


Como todos já sabem, morreu ontem o deputado Clodovil Hernandez. Apesar de não gostar dele, admito que o estilista teve um importante papel na mídia brasileira. Encrenqueiro, debochado e de humor ácido, acredito que Clodovil agregou mais desafetos do que amigos durante sua passagem na Terra.

Apesar de tudo, Clodovil às vezes falava a verdade, dizia o que precisava ser dito diante dessa enorme hipocrisia que vivemos na sociedade. O problema era a forma como o deputado dizia as coisas. Sempre muito agressivo e num tom de prepotência, suas palavras (bem afiadas) eram a arma para ferir e sabemos que muitas vezes, palavras doem mais do que violência física.

Não gostava desse olhar arrogante dele, aliás, não suporto esses gays de humor ácido, que debocham de tudo e todos e que só com seu olhar prepotente, chega a intimidar as pessoas. Mas ao mesmo tempo, penso da necessidade e importância de se ter pessoas como Clodovil, para mexer com a sociedade, abalar com a tal normalidade e moralidade existente.

Que o deputado/estilista possa ter mais paz do lado de lá do que teve aqui e para terminar, uma piada sobre Clô para descontrair hehehe:

Qual seria o melhor epitáfio para Clodovil?

a) Ai, to morta!

b) Enterrado pela última vez.

c) Vaza Ronaldo Ésper! Eu disse va-za, ok?

Um comentário:

  1. Eu fiquei chocada!
    Chocada e supresa com a morte cerebral ... quem diria?

    ResponderExcluir