quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Feliz Natal


Gostaria de desejar a todos um Feliz Natal, ou melhor, Joyeux Noel hehehe. Como passa rápido o tempo... quase um mês já em Paris... logo logo estará na hora de voltar para casa. Esta foto foi tirada na Diney Paris hehehe... sim, ainda existe uma criança dentro de mim.

Felicidades a todos!

sábado, 28 de novembro de 2009

Au revoir


Caros amigos de blogsfera e pessoas que de vez em quando passam por aqui,

em posts anteriores vocês notaram meus pedidos de desculpas pela diminuição de postagens e de visitas minhas em blogs amigos. Eis o motivo: estava trabalhando muito (alguns dias chegaram a 12 horas). O motivo de tanto trabalho? Estava mexendo os pauzinhos no trabalho para que eu pudesse ir para Paris estudar francês. Minhas férias seriam em janeiro, mas consegui um jeito de ficar dezembro também, então tive que me virar em dois, três para que tudo desse certo. Concluí meu curso de francês no início do mês, então agora é hora de pôr em prática.

Vou tentar postar com mais frequência relatando experiências, situações ou impressões de onde eu passar nos próximos dois meses, mas não garanto rss. Volto à terra brasilis em fevereiro.

Ah, eu fiz um Twitter há um mês e meio e só entrei nele 3 ou 4 vezes nesse tempo rss... ainda não consegui ver uma utilidade e necessidade dessa ferramenta para uma pessoa como eu. Talvez agora eu o utilize mais. O meu twitter é _CaioAbreu para quem quiser me seguir...

Bjs e abraços a todos!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

Turma da Mônica tem seu primeiro personagem gay

Do site da GazetaOnLine (www.gazetaonline.globo.com):

A diversidade sexual chegou aos quadrinhos da Turma da Mônica. A 6ª edição da revista "Tina", já nas bancas, mostra ao público o primeiro personagem gay criado pela equipe de Maurício de Souza.

Na história, Caio é o melhor amigo de Tina e deixa outros personagens surpresos quando se diz comprometido, apontando um outro rapaz. Tina, criada nos anos 60 e que hoje estuda jornalismo, aproveita e faz um dircurso contra o preconceito. Caio, aos poucos, vai ganhar mais espaço nas histórias.

Em outras publicações Maurício de Souza já deu outros passos para acabar com o preconceito. Já foram criados personagens deficientes visuais e cadeirantes.

Após ler esta notícia, fui ler os comentários de alguns internautas a respeito dela:

"Revista infantil não deveria ter estas coisas. Criança tem a ideia do que é certo, normal, natural. Os desvios que o homem cria não são possíveis de serem entendidos até que se tenha um mínimo de maturidade. Todos sabemos que isto existe, mas não tentem dizer que é normal. Se fosse normal existiria na mesma proporção que os heterossexuais e a humanidade estaria fadada a acabar. Homo's não procriam".

"Até na turma da mônica? não passa só por preconceito, acho que se o cara decide ser gay é da conta dele ou dela, po mas segundo a palavra de Deus, ele criou Adão depois Criou Eva, mais ou menos como um amigo nosso disse usando de suas palavras, "Deus criou Adão e Eva! Não Adão e Ivo" Se quer contrariar Deus contrarie, mas não faça as crianças pensarem que o ser gay é ser normal se fosse assim nos teríamos os dois sexos. Desde onde eu sei e não preciso falar é esgoto de onde sai a sujeira".

"Não sabeis que os injustos não hão de herdar o reino de Deus? Não erreis: nem os devassos, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os sodomitas, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os maldizentes, nem os roubadores herdarão o reino de Deus. E é o que alguns têm sido; mas haveis sido lavados, mas haveis sido santificados, mas haveis sido justificados em nome do Senhor Jesus, e pelo Espírito do nosso Deus. 1Co 6:9,11"

"Simplesmente o Maurício de Souza e sua Equipe estão, de certa forma, induzindo as crianças e adolescentes ao homossexualismo ! "

Sinceramente? Às vezes eu tenho taaaanta preguiça do mundo! É muita gente ignorante solta por aí. Por que vivemos num mundo em que os mais imbecis têm voz e são ouvidos? Veja a política, por exemplo... quanto mais imbecil, mais topeira e grosseiro, mais poder tem. E isso se espalha em outros segmentos da sociedade. Não vou expor minha opinião sobre isso porque com certeza vou falar coisas aqui que muitos ainda não estão preparados pra ouvir, mas dentre centenas de comentários idiotas, bom saber que ainda há pessoas que se salvam. É minoria, mas não se deve perder a esperança:

"Sempre fico muito feliz quando vejo e escuto comentários por aí falando da Bíblia como se fosse a verdade suprema. Acho de uma inocência muito bonita não duvidar que ela foi a manifestação do Diviníssimo, psicografada por mortais escolhidos por ele para a santa tarefa. Mais ainda: acreditar que um livro, que rodou pela mão de tanta gente, por tanto tempo e passou por infinitas edições, permanece inalterado é mais do que inocente, é infantil. O incrédulo e detestável homem aqui prefere acreditar na seguinte máxima: "a Bíblia é cega, a Torá é surda e o Alcorão é mudo. Queimando os três ao mesmo tempo chegamos bem perto da verdade". No mais, é só história em quadrinhos, né?"

"Quanta ignorância... Se for para ser gay vai ser gay lendo uma revista ou não, personagens gays estão nas novelas, filmes... e todo mundo assiste até as crianças, então pra quem está criticando eu tenho dois filhos e não vejo mal algum quanto a isso, onde eu moro tem homossexuais e meu filhos com certa frequência tem contato com eles, eu convivi com eles alguns são amigos de infância e nem por isso sou homossexual parem de generalizar essa é uma tendencia que já crescemos com ela, se tiver que ser vai ser e pronto. Tem gente que mora na roça nunca viu uma tv, não sabe nem ler e é homossexual. Tem que avaliar o que a revista quer passar, se for coisas boas é valido, e outra Tina como vcs podem ver na matéria é uma estudante de jornalismo que criança se interessaria por histórias como essas? Isso é para estudantes, adolescentes, universitários.... Para crianças é "Turma da Mônica" aquele gente, que tem o Cebolinha, o Cascão e a Magali tbm".

"Nunca vi comentários mais estúpidos quanto aqui! Muitas crianças que já tem uma "opção" sexual sofrem anos e anos ou então toda a vida, por não terem apoio para assumir seus desejos. Quem faz comentários desse tipo deve ser reprimido desde o jardim de infância. Espero que meus filhos não andem com os de vocês, pois com certeza devem ser estupidozinhos que se tornarão esses pitboys homofóbicos".

"Parabéns ao Maurício de Souza. A questão da homossexualidade tem que ser tratada com naturalidade mesmo. E isso não vai incentivar nenhuma criança a virar gay. Ninguém vira gay pq viu um personagem numa HQ ou na TV. Se fosse assim ninguém seria gay, pq só tem casal hétero nas mídias. Esse gibi vai ajudar as crianças a entenderem que existem pessoas diferentes e que logo elas vão conhecer homossexuais na escola e não vão ter preconceitos com elas".

PS: mais uma vez utilizo o blog para pedir desculpas pela ausência. Diminuí as postagens e também mal estou comentando nos blogs de amigos, mas logo vocês saberão o motivo. Boa semana a todos!

domingo, 8 de novembro de 2009

Pitty


Ontem esteve aqui em Vitória, a roqueira baiana Priscila... mais conhecida como Pitty. Fui conferir a apresentação e tive uma grata surpresa. Muito bom o show, a moça não o deixa ficar monótono em nenhuma parte e os fãs pulando e cantando todas as músicas mais conhecidas ou não.

Pontos altos/interessantes da noite:
- eu e meus amigos nos sentimos os tiozões no show devido à faixa etária predominante do público. Por um momento quase achei que estava no show da Xuxa rss

- Nunca vi tantos emos juntos. Só via emos em grande quantidade em shoppings nos dias de domingo ou quando vou a São Paulo.

- que legal ver 3 adolescentes (pra nao dizer pré-adolescentes) passando mal de tanta bebida e ter que ir embora antes do show começar... bons tempos que eu ficava bebado com menos de 10 reais e que achava vinho sangue de boi o máximo hauhauauhu

- interessante ver meninos e meninas de menos de 15 anos explorando suas sexualidades nos banheiros kkkkkkkkk... tempos modernos rss.

- ponto alto do show com certeza foi Pitty cantando Equalize, Na Sua Estante e Me Adora. Afinal, quem nunca mandou torpedos pra alguém ou colocou no nick do msn trechos de uma dessas três músicas? Confesso que durante as três músicas eu cantei em alto e bom som e ao mesmo tempo um flashback invadia meus pensamentos rss.

Amanha segunda-feira. Boa semana a todos!

terça-feira, 3 de novembro de 2009

Um pouco de surdez é útil para o sucesso

Como de costume, todo mês transcrevo aqui o artigo que minha mãe escreve mensalmente para o jornal A Tribuna, daqui do ES. Compartilho com vocês que são de outros estados ou até países. Segue o artigo publicado hoje:

Um pouco de surdez é útil para o sucesso

Era uma vez um tempo em que os bichos falavam e até disputavam eleição. Vários sapinhos se candidataram para disputar o título de melhor da região. O desafio era subir uma torre muito íngreme, quase impossível de ser trafegada. Isso exercitava a multidão, que se aglomerou em torno dos concorrentes.

Começou a competição e a multidão dizia em coro: "Não vão conseguir. Isso é impossível. Ninguém até agora conseguiu". Os sapinhos iam desistindo sucessivamente, menos um que subia tranquilamente.

No final da competição, todos desistiram, menos aquele. A multidão quis saber o que havia acontecido. Quando foram perguntar ao sapinho, descobriram que ele era surdo.

Esse é um dos segredos do sucesso: ouvir apenas a voz interior e não se importar com o que dizem do lado de fora, porque a legião dos pessimistas cada vez aumenta mais.

Ignorantes a respeito da sua condição divina, eles alimentam dentro de si sentimentos destrutivos e, não satisfeitos em matar seus próprios sonhos, investem contra os otimistas.

Qual foi a última vez que você ouviu um elogio? Quando você fez aquela dieta que parecia impossível quantos te parabenizaram pelo novo visual? E quando você engordou além da conta? Nesse caso, certamente teve que ouvir muitas falas incovenientes.

A impiedade caminha solta porque ensinaram que Deus mora no céu, que é uma entidade isolada de nós, bem distante. Só com o tempo e depois de muita busca é que aprendemos que Deus é uma essência só captada com os olhos do coração. Não está lá, está aqui e agora, diante de nós o tempo todo, em cada coração humano. Quando eu acaricio um ser humano, estou reverenciando a divindade que existe naquela pessoa, estou afagando o meu próprio ser.

O ego é que estabelece as distinções entre os humanos. Ele é aquela voz dentro de nós que vive dizendo: "eu tenho razão, o outro não; minhas ideias são mais brilhantes; eu sou isso, eu sou aquilo".

A mente egóica é estreita, incapaz de elogiar alguém que não seja ela mesma. É perigosa porque transforma semelhantes em concorrentes e faz da vida um estúpido campeonato, onde todos querem chegar primeiro... e sozinhos!!!

Nascemos para estar juntos. Compartilhar é a atitude humana que mais nos aproxima do propósito divino.

Chefes durões são seres que ainda dormem, nada sabem a respeito da consciência da unidade. São homens sem fé, crianças perdidas, merecedoras de toda compaixão do mundo. Vivem sob o domínio do ego, com a ilusão de serem melhores que seus auxiliares, por isso são tão econômicos na manifestação do afeto.

A capacidade de elogiar está diretamente ligada ao grau de consciência de uma pessoa. Os que já despertaram sabem que o elogio cria elos de amor indestrutíveis, aumentando significativamente a produtividade.

Dentro de cada um de nós existe uma essência divina de infinitas possibilidades , mas esse Deus interno só pode ser acionado através do amor, que vive para reverenciar e enaltecer.

Feliz é a pessoa que trata um semelhante do jeito como gostaria de ser tratada. Ela tem credenciais para se considerar um ser humano completo, porque já faz aquilo que os mestres iluminados ensinam - o amor incondicional. O resto é ensaio.

Jane Mary de Abreu é jornalista e consultora de Marketing Político e Empresarial

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

This Is It!

Acabei de voltar do cinema. Assisti a estréia aqui em Vitória de This Is It - o documentário tão falado e aguardado que mostra um pouco do que seria o show de despedida de Michael Jackson dos palcos. Sou suspeito para falar porque sou fã de Michael desde os 11 anos e a sensação que se tem ao sair do cinema é: ele não podia ter morrido antes de ter realizado essa turnê! Seria o maior espetáculo da Terra!

Foi ótimo ver um Michael Jackson concentradíssimo, empolgado, atento e exigente com os mínimos detalhes para que tudo saísse perfeito. Foi bom ver um pouco dos bastidores e do enorme trabalho e mão-de-obra necessária para se montar um espetáculo tão grandioso como este seria. Michael não perdeu a majestade e sua voz estava melhor do que nunca.

Foi um presentão esse documentário para os fãs! E quem não é fã do cantor, recomendo que assita também e aprecie um dos maiores cantores, compositores, bailarinos de todos os tempos! Pena que This Is It não pôde acontecer... já estava até juntando milhas na TAM e libras pra ir ver o rei do pop em Londres hehehe.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Domingo Espetacular


Geralmente detesto domingo. É um dia inútil para mim. Não tenho vontade de fazer nada, na tv nada de bom passando... um tédio/preguiça toma conta de mim nesse dia da semana. Mas ontem foi um domingo atípico para mim.

Quis acordar cedo para poder curtir a piscina mas como cheguei em casa as 7 da manhã, nem por reza consegui levantar antes das 13 hrs... acordei para ver o GP Brasil de Formula 1 e mais uma vez Rubinho com problemas viu seu companheiro de equipe ser campeão. Será que agora ele desiste de vez e se aposenta?

Depois da corrida, fui ver meu Mengão arrasando o Palmeiras em pleno Parque Antártica com show de Pet e após o jogo, minha amiga me chamou pra comer num restaurante aqui perto de casa. Resolvi ir e depois voltaria para casa e terminaria o domingo vendo Fantastico ou fuçando na net rss.

Mas mal sabia eu que meu domingo estava apenas começando hehehe. Depois de comer feito dois pôneis rss eu e minha amiga resolvemos parar na praia e aproveitar o horário de verão... pra que? Começamos a beber e o resultado? Cheguei em casa as 2h! Alternamos entre whiskey e vodka ja que ambos detestamos cerveja. E é impressionante o que acontece em um intervalo de 6 horas na praia e dentro do carro kkkkkkkkkk... enfim, não vou entrar em detalhes só digo que o domingo de ontem foi muito diferente dos meus domingos habituais rss

E pra começar a semana, li esse artigo de Frei Betto hoje de manhã e gostei muito. Compartilho mais um texto com vocês:

Do Mundo virtual ao espiritual
Por Frei Betto

Ao viajar pelo Oriente, mantive contatos com monges do Tibete, da Mongólia, do Japão e da China. Eram homens serenos, comedidos, recolhidos em paz em seus mantos cor de açafrão. Outro dia, eu observava o movimento do aeroporto de São Paulo: a sala de espera cheia de executivos com telefones celulares, preocupados, ansiosos, geralmente comendo mais do que deviam. Com certeza, já haviam tomado café da manhã em casa, mas como a companhia aérea oferecia um outro café, todos comiam vorazmente.

Aquilo me fez refletir: "Qual dos dois
modelos produz felicidade?" Encontrei Daniela, 10 anos, no elevador, às nove da manhã, e perguntei: "Não foi à aula?" Ela respondeu: "Não, tenho aula à tarde". Comemorei: "Que bom, então de manhã você pode brincar, dormir até mais tarde". "Não", retrucou ela, "tenho tanta coisa de manhã..." "Que tanta coisa?", perguntei. "Aulas de inglês, de pintura, piscina", e começou a dizer seu programa de garota robotizada. Fiquei pensando: "Que pena, a Daniela não disse: Tenho aula de meditação!"

Estamos construindo super-homens e supermulheres, totalmente
equipados, mas emocionalmente infantilizados. Por isso, as empresas consideram agora que, mais importante que o QI, é a IE, a Inteligência Emocional. Não adianta ser um superexecutivo se não se consegue se relacionar com as pessoas. Ora, como seria importante os currículos escolares incluírem aulas de meditação!

Uma progressista cidade do interior de São Paulo tinha, em 1960, seis
livrarias e uma academia de ginástica; hoje, tem sessenta academias de ginástica e três livrarias! Não tenho nada contra malhar o corpo, mas me preocupo com a desproporção em relação à malhação do espírito. Acho ótimo, vamos todos morrer esbeltos: "Como estava o defunto?". "Olha, uma maravilha, não tinha uma celulite!" Mas como fica a questão da subjetividade? Da espiritualidade? Da ociosidade amorosa? Outrora, falava-se em realidade: análise da realidade, inserir-se na realidade, conhecer a realidade.

Hoje, a palavra é virtualidade. Tudo
é virtual. Pode-se fazer sexo virtual pela internet: não se pega Aids, não há envolvimento emocional, controla-se no mouse. Trancado em seu quarto, em Brasília, um homem pode ter uma amiga íntima em Tóquio, sem nenhuma preocupação de conhecer o seu vizinho de prédio ou de quadra! Tudo tão virtual, entramos na virtualidade de todos os valores, não há compromisso com o real! É muito grave esse processo de abstração da linguagem, de sentimentos: somos místicos virtuais, religiosos virtuais, cidadãos virtuais.

Enquanto isso, a realidade vai por outro
lado, pois somos também eticamente virtuais. A cultura começa onde a natureza termina. Cultura é o refinamento do espírito. Televisão, no Brasil - com raras e honrosas exceções é um problema: a cada semana que passa, temos a sensação de que ficamos um pouco menos cultos. A palavra hoje é "entretenimento"; domingo, então, é o dia nacional da imbecilização coletiva. Imbecil o apresentador, imbecil quem vai lá e se apresenta no palco, imbecil quem perde a tarde diante da tela.

Como
a publicidade não consegue vender felicidade, passa a ilusão de que felicidade é o resultado da soma de prazeres: Se tomar este refrigerante, vestir este tênis, usar esta camisa, comprar este carro, você chega lá. O problema é que, em geral, não se chega! Quem cede desenvolve de tal maneira o desejo, que acaba precisando de um analista. Ou de remédios. Quem resiste, aumenta a neurose. Os psicanalistas tentam descobrir o que fazer com o desejo dos seus pacientes. Colocá-los onde? Eu, que não sou da área, posso me dar o direito de apresentar uma sugestão. Acho que só há uma saída: virar o desejo para dentro. Porque, para fora, ele não tem aonde ir! O grande desafio é virar o desejo para dentro, gostar de si mesmo, começar a ver o quanto é bom ser livre de todo esse condicionamento globalizante, neoliberal, consumista. Assim, pode-se viver melhor. Aliás, para uma boa saúde mental três requisitos são indispensáveis: amizades, auto-estima, ausência de estresse.

Há uma lógica religiosa no consumismo pós-moderno. Se alguém vai à
Europa e visita uma pequena cidade onde há uma catedral, deve procurar saber a história daquela cidade - a catedral é o sinal de que ela tem história. Na Idade Média, as cidades adquiriam status construindo uma catedral; hoje, no Brasil, constrói-se um shopping center. É curioso: a maioria dos shopping centers tem linhas arquitetônicas de catedrais estilizadas; neles não se pode ir de qualquer maneira, é preciso vestir roupa de missa de domingos. E ali dentro sente-se uma sensação paradisíaca: não há mendigos, crianças de rua, sujeira pelas calçadas...

Entra-se naqueles claustros ao som do gregoriano pós-moderno, aquela
musiquinha de esperar dentista. Observam-se os vários nichos, todas aquelas capelas com os veneráveis objetos de consumo, acolitados por belas sacerdotisas. Quem pode comprar à vista, sente-se no reino dos céus. Se deve passar cheque pré-datado, pagar a crédito, entrar no cheque especial, sente-se no purgatório. Mas se não pode comprar, certamente vai se sentir no inferno...

Felizmente, terminam todos na
eucaristia pós-moderna, irmanados na mesma mesa, com o mesmo suco e o mesmo hambúrguer do McDonald's. Costumo advertir os balconistas que me cercam à porta das lojas: "Estou apenas fazendo um passeio socrático." Diante de seus olhares espantados, explico: "Sócrates, filósofo grego, também gostava de descansar a cabeça percorrendo o centro comercial de Atenas. Quando vendedores como vocês o assediavam, ele respondia: Estou apenas observando quanta coisa existe de que não preciso para ser feliz."

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Liberdade


Recebi um e-mail hoje com esta mensagem. Era tudo que precisava ouvir! Compartilho com vocês:

LIBERDADE

A liberdade é uma das qualidades mais significativas. Na verdade, é da liberdade que brota tudo que é grandioso. Você só consegue amar se for livre, só consegue buscar a verdade se for livre, só consegue ser alegre se for livre...


Não quero que você pertença a uma igreja, a um credo, a uma nação, a uma raça... Essas coisas são feias. Você tem que estar livre de todas essas baboseiras. Seja simplesmente humano. Não há necessidade de ser cristão, hindu ou maometano, e nenhuma necessidade de ser indiano, americano ou alemão. É preciso libertar-se de todas essas amarras. Elas são prisões que mantêm o espírito encarcerado. Liberte-se!

Se cooperar com todas essas coisas, você está cooperando com a sua própria escravidão. Libertar-se é um ato de amor próprio – o universo fez você para alcançar grande alturas, não para ficar rastejando, esperando que alguém lhe conceda uma graça ou lhe mostre um caminho... Você já tem o mapa dentro de si, só não quer se apossar dele... Observe como você coopera diariamente com a sua escravidão, e só essa percepção já basta para libertá-lo dela...

A liberdade é a sua natureza, não é algo a ser alcançado e nem algo que alguém possa lhe dar. Quando toda a escravidão desaparece, fica-se livre; quando a escravidão não está mais presente, a liberdade começa a crescer dentro do seu ser... Gradativamente você vai lembrando de quem você é – um ser de luz, completamente iluminado!

Com essa liberdade, a vida começa a adquirir tremenda beleza... E então tudo é possível: amor, verdade, DIVINDADE!


Viver significa estar fluindo, se movendo, infinitamente... Procure sempre a estrela mais distante... Aproveite a própria jornada... Não se preocupe com o destino. Os destinos são apenas desculpas para continuar a jornada. Não há destinos ou metas na vida...

A vida é uma peregrinação, uma peregrinação para o nada, para lugar nenhum – é pura luz! Quando você começa a aproveitar a jornada em si, não há motivo para objetivo algum. Você não perguntará mais qual o sentido da vida, porque descobrirá finalmente que a vida é o seu próprio sentido, um fim em si mesma. Essa é a liberdade suprema!

(Texto de Osho, extraído do livro Meditações para a Noite)

Bom final de semana a todos!

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Equilíbrio


Sabe quando toda véspera da combinação final de semana + feriado você promete pra si mesmo que vai aproveitar o tempo para estudar coisas atrasadas da pós-graduação, para ler uns livros relacionados ao seu trabalho, pra aprimorar sua fluência no francês e na noite da véspera de voltar à rotina, todos os livros e textos estão lá no mesmo lugar e rola um climão tenso entre vocês?

Sabe quando você vai somando as notinhas do cartão de crédito e quase desmaia ao descobrir que em quatro dias você gastou quase 400 reais só com bebidas e baladas?

Sabe quando você conhece zilhões de pessoas, interage com vários e no dia seguinte nem do nome delas você consegue lembrar?

Sabe quando te avisam pra não pegar o carro mesmo que você tenha tomado só um pouquinho porque pode dar merda? Pois é... shit happens

Sabe quando você acha que sua vida está em extremos? Que não consegue achar um equilíbrio... é sempre 8 ou 80?

Sabe quando você insiste em buscar respostas fora, mesmo sabendo que elas estão dentro de você?

Enfim... boa semana a todos!

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Eu corro... para que?


Despois de trabalhar segunda e terça das 9h até meia noite (mas tenho a impressão que hoje vou precisar ficar até mais tarde de novo... enfim..), consegui um tempo para voltar ao mundo da blogsfera hehehe e tenho pensado e divagado junto ao meu travesseiro algumas conversas que tive com o mesmo amigo do post anterior... estávamos falando sobre carreira, profissões, mercado de trabalho. Já terminamos a faculdade, já passamos dos 25 mas ainda não chegamos aos 30. A angústia da pergunta "O que fazer após a faculdade" já não existe mais. A neurose da vez é "Como ser bem sucedido, fazer seu nome, ter o seu lugar ao Sol".

E, para nossa sociedade, o que é ser bem sucedido? É acumular fortuna, ter mansões, carrões, passaporte carimbado com o visto de diversos países, casar, ter filhos e aí sim, você será feliz? O que nos levou ao questionamento: que necessidade as pessoas têm em "ser alguém na vida"? Desde pequenos ouvimos ou de nossos pais ou de outros parentes ou de amigos o tal ser alguém na vida, como se já não fôssemos alguém! E só seremos alguém se tivermos os tais itens citados acima?

A questão é: entramos nessa corrida, queremos ser bem sucedidos nas nossas profissões por satisfação pessoal ou para satisfação do nosso ego? Essa necessidade de reconhecimento, de ser aplaudido e admirado... de onde vem? Do ego, talvez. Tenho vontade de ocupar o cargo X na empresa Y porque me dará prazer ou porque preciso do reconhecimento e do aplauso dos que estão ao meu redor? E após isso, serei feliz? Será que tudo se resume a isso? Somos um bando de carentes que precisamos do reconhecimento dos outros para nos sentirmos um pouco melhor conosco mesmo?

Ás vezes fico pensando nessa corrida que todos estamos inseridos. Acho que fazemos coisas no automático sem saber o porquê, onde vai dar?Fazemos isso ou aquilo para alcançar tal coisa, acumulamos uma coisa ali, outra lá, estudos e mais estudos pra ver se o salário melhora um pouco mais, é uma bola de neve que só cresce, mas alguém, por favor, me responda onde isso vai dar? O que acontece, nessa corrida, quando se atinge a linha de chegada? O que vem depois? Qual o sentido dessa corrida cheia de Dicks Vigaristas, Penélopes Novas, Muttleys, Professores Aéreos, Rufus Lenhador, Barões Vermelhos e tantos outros?* (para quem não teve infância nos anos 80, esses são personagens de um desenho chamado Corrida Maluca rss)

Termino esse post com um trecho da música Esquadros, de Adriana Calcanhoto:
Eu ando pelo mundo
E os automóveis correm para quê?

As crianças correm para onde?

Transito entre dois lados de um lado

Eu gosto de opostos

Exponho o meu modo, me mostro

Eu canto pra quem?

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Você realmente já amou alguém?


Em uma das conversas que tive com um amigo recentemente, ficamos falando das relações amorosas de hoje em dia. O que as pessoas chamam de amor, é realmente amor? Quando você diz que ama alguém, você realmente ama o indivíduo ou a imagem que você criou deste indivíduo? Explico:

Quando estamos solteiros, as pessoas se esforçam para te apresentar alguém. Não conseguem te ver e acreditar que é possível ser feliz apenas com você mesmo. Acham que pra ser feliz tem que ter alguém do lado. Enfim... ao sermos apresentados a alguém, quais perguntas básicas ninguém esquece de fazer? - O que você faz e onde mora. E já repararam que em muitos casos a pessoa vai ficando mais ou menos bonita de acordo com a resposta para essas duas perguntas?

Nossa mente não consegue ficar quieta. Ela tem necessidade de enquadrar as pessoas, de colocar rótulos, fazer pré-julgamentos. Se na balada uma menina é apresentada a um cara muito bonito, uma beleza de chamar atenção e se ele responde que é garçon ou motoboy e que mora num bairro da periferia da cidade, com certeza ele, para esta menina ( e para muitas outras) não mais parecerá tão bonito assim.

Mas se ele diz que é médico, empresário que cuida dos negócios do pai ou juiz, promotor e que mora no bairro nobre da cidade, com certeza a menina pensará que achou o homem da vida dela. E fará de tudo para se envolver com ele. Só que lá na frente, depois de algum tempo de namoro, ela vai começar a ver os defeitos dele e vai dizer que a culpa do relacionamento não ter dado certo foi que ele mudou.

Ora bolas, ele não mudou. Sempre foi o mesmo. A menina apenas ficou frustrada diante da expectativa criada em torno do cara e cansou da imagem que tinha dele. Na verdade, ela nunca se apaixonou por ele e sim, pela imagem e pelas expectativas que ela criou do rapaz.

E após filosofar hehehe horas e horas com meu amigo sobre o assunto, me dei conta de como fazemos isso e muitas vezes nem percebemos. O que me fez concluir que essa grande infelicidade no mundo se deve principalmente a falta de amor! Ninguém está disposto a conhecer ninguém de fato. Os relacionamentos hoje, muitos deles são jogos de interesse. O que você tem para me oferecer e o que posso te dar em troca? Virou um jogo muitas vezes imperceptível pelas pessoas. Inclusive na Grécia Antiga, os gregos viam os relacionamentos como interesse. Era explícito. Não tinham essa ideia romanceada do amor que temos hoje. Um feio rico poderia se casar com uma pobre bonita pois em tese um estaria emprestando sua riqueza e a outra sua beleza. Bizarro, né?

Resolvi fazer uma experiência. Numa balada de uma sexta ou sábado qualquer, quando era apresentado a alguém, com segundas intenções ou não rss, evitei o máximo que pude, responder essas duas perguntas - o que faço e em que bairro moro. E também evitei perguntar, pois nossa mente é foda! É alguém falar que mexe com publicidade, jornalismo, medicina, advocacia, engenharia ou qualquer outra coisa, que ela já traça um perfil da pessoa que você conheceu há menos de 5 minutos.

Voltando à pergunta do título do post... Você realmente já amou alguém ou amou a imagem e expectativa que criou em relação a ela e achou que estivesse amando a pessoa?

-------------------------------------------------------------------------------------------------
Para terminar, ganhei este selo da Fátima do Cada Volta é um Recomeço (http://cadavoltaeumrecomeco.blogspot.com) e dos 10 blogs que ela indicou como "Blog que acerta em cheio" o meu foi um. Obrigado Fátima! Que bom que você gosta do que escrevo aqui. E recomendo a todos a darem uma olhada no blog dela.
Bom, eu teria que indicar 10 blogs que eu considero que acertam em cheio, mas todos vocês que estão ali do lado direito do meu blog, na lista Vida Inteligente na Internet, considero que acertam em cheio. Sintam-se selados e quem quiser postar o selo, agradeço :)
Bom final de semana a todos!

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

Cartas Não-Enviadas

O post de hoje será um pouco mais pessoal. Normalmente não faço isso, não exponho minha vida assim, então aproveitem hehehe... mas inspirado por uma música (Unsent) de uma cantora que gosto muito (Alanis Morissette), me deu vontade de por pra fora coisas que estão entaladas aqui e que ainda não tive coragem de dizer pessoalmente pras pessoas endereçadas. Simplificando, são cartas pra ex! Essa coisa mal resolvida que todos têm histórias para contar rss. Vamos às cartas não enviadas:

EX nº 1 - Sei que posso ter feito um estrago na sua vida. Achava que realmente o nosso "pra sempre" seria para sempre. Te amei muito sim e talvez entorpecido pelo sabor da paixão, posso ter feito promessas que você deve ter levado à sério demais e no fim não fui capaz de cumpri-las. Não sei se o jeito que terminei com você foi o mais certo (afinal, existe maneira certa de se terminar um namoro?), mas hoje tenho consciência do que digo pras pessoas. Palavras não podem ser ditas em vão, mas saiba que em nenhum momento menti pra você. Tudo que disse foi porque realmente estava sentindo no momento. Hoje tenho um carinho muito grande por ti e gostaria muito de um dia te reencontrar para te dar um abraço e conversar, bater-papo, rir, falar besteira.

EX nº 2 - Sabia que, às vezes, eu sinto sua falta? Mas não no sentindo de querer que a gente volte a namorar mas tenho saudade da maneira carinhosa que a gente se tratava, a atenção e preocupação que você tinha comigo, os apelidos carinhosos que um colocava no outro, as viagens, seu sorriso, nossas brincadeiras... parecíamos duas crianças hehehe... mas a gente brigava muito. Quantas vezes já quis tacar em você a primeira coisa que visse pela frente de tanta raiva que estava e quantas vezes você quis fazer isso comigo também. Temos gênios super incompatíveis... nem acredito que ficamos juntos tanto tempo. E depois que terminamos você me fez parecer as vezes uma pessoa tão mesquinha, querendo fazer ciuminho bobo em mim. Queria que eu corresse atrás como os outros sempre correram? Comigo não é assim que funciona hehehe. Passado a turbulência, hoje, fico feliz em saber que podemos conversar e tratar bem um ao outro e desejar a felicidade do outro com toda sinceridade.

EX nº 3 - Será que vou ter que sumir do mapa para você me esquecer? Achei que pudéssemos ser amigos, mas atitudes suas me fizeram perceber que você ainda gosta de mim. Tanto tempo já se passou desde que terminei com você... eu namorei outras pessoas, você também... eu já desencanei há tempos e você? O foda é que temos amigos em comum e sempre estamos nos encontrando... e não entendo qual é a sua às vezes... você acha que ficando com meu amigo, estará me atingindo de alguma forma? Sim, sei que você e meu amigo se pegam ou se pegavam as vezes, mas nem quero saber e nem me interessa. Já fiquei quase um ano sem falar com você porque onde eu ia, Vitória inteira me falava que você ainda gostava de mim, então resolvi sumir. Terei que fazer isso de novo? Realmente não queria, pois você é uma ótima pessoa, gosto de estar perto, mas o que sinto não passa de amizade. Enfim, queria poder falar isso com você ao vivo, mas falta oportunidade.

Bom, poderia continuar falando de ex mas vocês iriam se cansar e isso não viraria trechos de cartas e sim um dossiê da minha vida uhauhauhauhau... alguém pode compartilhar comigo experiências com ex? Ex é Phoda! Pode ser tanto no bom como no mau sentido...

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Devo pedir champanhe ou cianureto?


Reserve um pouco do seu tempinho e leia este artigo do Arnaldo Jabor publicado no Estado de S. Paulo de hoje. Após lê-lo, você pediria champanhe ou cianureto?

O grande Cole Porter tem uma letra de música que diz: "Questões conflitantes rondam minha cabeça/devo pedir cianureto ou champanha?"

Sinto-me assim, como articulista. Para que escrever? Nada adianta nada. Ando em crise como vejo nos desenhos do excepcional Angeli, gênio da HQ. E como meu trabalho é ver o mal do mundo, um dia a depressão bate. Não aguento mais ver a cara do Lula de boné, dançando xaxado pelo pré-sal, não aguento mais ver o Sarney mandando no país, transformando-nos num grande Maranhão, com o PT no bolso do jaquetão de teflon, enquanto comunistas, tucanos e fascistas discutem para ver quem é mais de "esquerda" ou de "direita", com o Estado loteado entre pelegos sem emprego e um governo regressista nos jogando de marcha à ré para os anos 40; não dá mais para ouvir quantos campos de futebol foram destruídos por mês na Amazônia, quando ninguém jamais consegue impedir as queimadas na Amazônia, enquanto ecochatos correm nus na Europa, fazendo ridículos protestos contra o efeito estufa; passo mal quando vejo a cara dos oportunistas do MST, com a benção da Pastoral da Terra, liderando pobres diabos para a "revolução" contra o capitalismo; não aguento secretários de segurança falando com "forças-tarefas" diante de presídios que nem conseguem bloquear celulares; não suporto a polêmica nacionalismo-pelego X liberalismo tucano de hímen complacente, tenho enjoo com vagabundos inúteis falando em "utopias", bispos dizendo bobagens sobre economia, acadêmicos rancorosos decepcionados, mas secretamente apaixonados pela velha esquerda, tremo ao ver a República tratada no passado, nostalgias de tortura, indenizações para moleques, heranças malditas, ossadas do Araguaia e nenhuma reforma no Estado paralítico e patrimonialista, não tolero mais a falta de imaginação ideológica dos homens de bem, comparada com a imaginação dos canalhas, o que nos leva à retórica de impossibilidades como nosso destino fatal, e vejo que a única coisa que acontece é que não acontece nada, apesar dos bilhões em propaganda para acharmos que algo acontece.

Não aturo essa dúvida ridícula que assola a reflexão política: paralisia X voluntarismo, processo X solução, continuidade X ruptura; me deprimo quando vejo a militância dos ignorantes, a burrice com fome de sentido, tenho engulhos ao ver a mísera liberdade como produto de mercado, êxtases volúveis de "clubbers" e punks de boutique, descolados dentro de um chiqueirinho de irrelevâncias, buscando ideais como a bunda perfeita, bundas ambiciosas, querendo subir na vida, bundas com vida própria, mais importantes que suas donas, odeio recordes sexuais, próteses de silicone, pênis voadores, sucesso sem trabalho, a troca do mérito pela fama, não suporto mais anúncio de cerveja com louras burras, detesto bingos, "pitbulls", balas perdidas, suspense sobre espetáculo de crescimento que só acontece na mídia, abomino mulheres divididas entre a piranhagem e a peruice.

Onde está a delicadeza do erotismo clássico, a poética do êxtase? Repugnam-me os sorrisos luminosos de celebridades bregas, passos-de-ganso de manequim, notícias sobre quem come quem; horroriza-me sermos um bando de patetas de consumo, crianças brincando num shopping, enquanto os homens-bombas explodem no Oriente e Ocidente, enquanto desovam cadáveres na Faixa de Gaza e em Ramos, com ônibus em fogo no Jacarezinho e Heliópolis, museus superfaturados evocando retorcidos bombardeios em vez de hospitais e escolas, espaços culturais sem arte alguma para botar dentro, a não ser sinistras instalações com sangue de porco ou latinhas de cocô de picaretas vestidos de "contemporâneos"; não aguento chuvas em São Paulo e desabamentos no Rio, enquanto a Igreja Universal constrói templos de mármore com dinheiro arrancado dos pobres e Sonia Hernandez, a perua de Cristo do Renascer reza de mãos dadas com Dilma Rousseff de olhos fechados, orando pelos ideais de Zé Dirceu, enquanto formigueiros de fiéis bárbaros no Islã recitam o Corão com os rabos para cima antes de pilotar caminhões-bombas, xiitas sangrando, sunitas chorando, tudo no tão mal-começado século XXI.

Não aguento ver que a pior violência é nosso convívio cético com a violência, o mal banalizado e o bem como um charme burguês, não quero mais ouvir falar de "globalização", enquanto meninos miseráveis fazem malabarismo nos sinais de trânsito, cariocas de porre falando de política e paulistas de porre falando de mercado, festas de celebridades com cascata de camarão, matérias pagas com casais em bodas de prata, Lula com outro boné, políticos se defendendo de roubalheira falando em "honra libada", "conselho de ética arquivado", suplentes cabeludos e suplentes carecas ocultando os crimes, anúncios de celulares que fazem de tudo, até "boquete"; dá-me repulsa ver mulheres-bombas tirando fotos com os filhinhos antes de explodir e subir aos céus dos imbecis, odeio o prazer suicida em que falamos sem agir sobre o derretimento das calotas polares, polêmicas sobre o casamento gay, racismo pedindo leis contra o racismo, odeio a pedofilia perdoada na igreja, vomito ao ver aquele rato do Irã falando que não houve Holocausto, sorrindo ao lado do Chávez cercados pelas caras barbudas de boçal sabedoria de aiatolás, repugnam-me as bochechas da Cristina Kirchner destruindo a Argentina, Maluf negando nossa existência, Pimenta das Neves rebolando em cima dos buracos do Código Penal, confrange-me o Papa rezando contra a violência com seus olhinhos violentos.

Não suporto cúpulas do G20 lamentando a miséria para nada, tenho medo de tudo, inclusive da minha renitente depressão, estou de saco cheio de mim mesmo, dessa minha esperançazinha démodé e iluminista de articulista do "bem", impotente diante do cinismo vencedor de criminosos políticos.

Daí, faço minha a dúvida de Cole Porter: devo pedir ao garçom uma pílula de cianureto ou uma "flute" de champagne rosé?

E então? Champagne ou cianureto?

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Café com amigo


Estou radiante! Meu grande amigo, que mora em Londres, chegou ontem ao Brasil para visitar família e amigos depois de 3 anos sem dar as caras em terras brazucas. Veio passar as férias e em 20 e poucos dias terá que retornar à terra da rainha hehehe. E hoje aproveitamos e resolvemos almoçar juntos. Almoço que se estendeu para um café ao longo de toda tarde.

Que bom foi sentir que a distância e tanto tempo sem se ver em nada alterou nossa sintonia, nosso papo, nossa amizade. Que bom poder compartilhar todas experiências, descobertas, mudanças vividas por ambos ao longo desses 3 anos. Que bom saber que com ele, eu não preciso parecer, ser ou ter algo... posso ser simplesmente Caio, simples assim.

E como se não bastasse, minha melhor amiga, que hoje mora no Rio, veio passar uns dias em Vitória também! Chegou hoje. É muita coincidência hehehe. Com ela, eu também posso ser apenas Caio e compartilhar todas minhas alegrias e tristezas e ter os mais filosóficos e bobos pensamentos ao mesmo tempo hehehe.

Agradeço a Deus por ter colocado esses dois anjos na minha vida! Amizade é essencial!

Bom final de semana a todos!

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Impermanência

Uma historinha que me ajudou a refletir sobre minha mania de querer controlar a vida, as coisas, os acontecimentos:

Buda estava viajando através de uma floresta. O dia estava quente. Era exatamente meio-dia e ele sentiu sede. Assim, disse para seu discípulo Ananda: no caminho em que percorremos existe um riacho. Volte lá e traga um pouco de água para mim.

Ananda voltou, mas o riacho era muito pequeno, algumas carroças faziam a travessia naquele momento. Isso fez com que a àgua ficasse barrenta, completamente imprópria para se beber. Assim, Ananda voltou e disse: aquela àgua de tornou absolutamente suja, permita que eu vá mais a frente, sei que existe um rio a apenas alguns quilômetros de distância daqui.

Buda disse: não, volte ao mesmo riacho... Ananda seguiu a instrução do mestre, mas um pouco contrariado, afinal ele tinha presenciado o estado do rio... Por que deveria fazer o trajeto de novo inutilmente? Quando chegou às margens do riacho, não deu outra: as àguas continuavam barrentas, impróprias para o consumo humano. Novamente ele retornou e disse: por que insiste assim comigo, mestre?

Buda olhou novamente para o discípulo e disse: vá novamente ao riacho... De novo, ele seguiu contrariado... Por que estava sendo submetido àquela provação? Por que aquilo tinha que acontecer logo com ele?

Mas quando chegou ao rio, Ananda teve uma surpresa: as àguas estavam cristalinas! Todo o cenário havia se alterado... O barro estava assentado, a vida novamente corria tranquila nas àguas daquele rio...

Este é o ensinamento básico de Buda: nada é permanente, tudo é transitório - assim, por que ser tão preocupado? Volte ao mesmo riacho sempre, pacientemente... Então, tudo deve ser mudado. Nada permanece o mesmo. Apenas seja paciente: vá novamente e novamente e novamente... Apenas alguns momentos e as folhas terão ido embora e a sujeira terá se assentado e a àgua estará pura de novo. Ananda também perguntou a Buda, quando ele estava voltando pela segunda vez: você insiste que eu vá, mas eu não posso fazer alguma coisa para tornar aquela àgua impura?

Buda disse: por favor, não faça nada; do contrário você a tornará mais impura. E não entre no riacho. Apenas fique de fora, esperando na margem. Sua entrada no riacho criará uma confusão. O riacho flui por si mesmo, assim deixe-o fluir.

A vida é um fluxo contínuo. Nada é permanente. Heráclito disse que você não pode pisar duas vezes no mesmo rio. É impossível pisar duas vezes no mesmo rio porque no minuto seguinte o rio fluiu... Tudo muda após acontecer. E não somente o rio flui, você também flui. Você também é um rio fluindo pemanentemente.

Veja a permanência de todas as coisas. Não tenha pressa; não tente fazer nada... Abra mão da ilusão do controle e da onipotência... Permita que a existência assuma o comando. Ela te fez, ela sabe o caminho que te deixa verdadeiramente feliz... Esperar é mágico... Você lançou a semente à terra... Está aguando o seu jardim. Agora espere pelo florescimento do seu plantio. A natureza não dá saltos. Tudo acontece no seu devido tempo.

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Vitória


Como disse no post anterior, hoje é feriado aqui em Vitória (feriado prolongado uhuuu hehehe). E é feriado porque hoje é dia da minha querida ilha de Vitória, que completa hoje 458 anos, sendo a terceira capital mais antiga do Brasil (só perde para Recife e Salvador).

Vitória recebeu este nome em comemoração à vitória que os portugueses tiveram sobre os índios que aqui habitavam e se recusavam a se submeter ao domínio português. Depois de diversas batalhas e forte resistência dos índios, os portugueses, que tinham mais armamentos, claro, acabaram vencendo.

Amigos meus que são de outros estados do Brasil ficam surpresos quando falo que Vitória tem pouco mais de 300 mil habitantes e que a Região Metropolitana, a Grande Vitória apenas 1,5 milhão. Mas pouca gente sabe que por mais de 2 séculos, o povoamento de Vitória e do Espírito Santo de uma maneira geral foi proibido pela coroa portuguesa. Para evitar o contrabando do ouro que vinha de Minas Gerais, a coroa fechou portos e estradas na capitania do Espírito Santo, evitando assim um possível desenvolvimento.

A escoação do ouro e de outras riquezas vindas de Minas Gerais saíam dos portos do Rio de Janeiro e São Paulo. Portanto, enquanto Rio, Minas e São Paulo cresciam tanto economicamente como populacionalmente, a capitania do Espírito Santo foi esquecida, tendo seu processo de povoamento iniciado de fato, apenas no início do século XX.

E nesta cidade nasci e fui criado e apesar de às vezes reclamar daqui e fazer comparações em vão com grandes metrópoles brasileiras e mundiais, amo esta ilha chamada de Vitória. Amo morar aqui, a qualidade de vida é ótima e se você nunca esteve em Vitória, vale a pena dar uma passadinha aqui hehehe. Me avise que serei seu guia turístico rss. E vocês, mineiros, paulistas e brasilienses (quem nasce em Brasília, é brasiliense né?) que no verão lotam as praias do ES hehehe, não fiquem apenas em Guarapari ou outros balneários do sul ou norte do Estado. Deem uma passadinha aqui na capital também rss

Parabéns Vitória! Boa semana a todos! Vou curtir meu restinho de feriado agora hehehe

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

Um dia no banco


Começo o post de hoje me desculpando pela ausência em mais de uma semana aqui. Estou trabalhando muito e sempre que venho aqui, não basta apenas postar... gosto de ler e comentar nos blogs de amigos e de quem gosto de ler... e até ler e comentar em todos, leva mais de uma hora... e uma hora livre foi o que eu não tive esta semana hehehe. Ainda bem que vem um feriado por aí... feriado não, feriadão para quem mora aqui em Vitória, já que terça, dia 8, é feriado aqui também :)

Bom, vamos ao post de hoje... Fazia séculos que não ia ao banco, sério mesmo. Não sabia o que era enfrentar fila de banco há muito tempo. Faço quase tudo pela internet e quando preciso ir, peço a meu pai, que é aposentado e tem mais de 60, ir pra mim por causa da fila prioritária pra ele hehehe. Mas meu pai está viajando, o Bradesco resolveu não me mandar umas faturas, o Banco do Brasil me irritou e lá fui eu hoje exercitar minha paciência rss.

Já disse aqui uma vez que gosto de reparar nas pessoas, quando estou no shopping apenas matando tempo gosto de analisá-las e tentar imaginar como são suas vidas, etc, e hoje a tarde pude fazer muito isso pois fiquei 40 minutos na fila no Banco do Brasil e 1 hora e 20min no Bradesco... como disse, raramente vou a banco... o dia pra ir tinha que ser numa sexta véspera de feriadão né? Então tempo pra observar as pessoas não foi o que faltou...

Tinha de tudo quanto é gente... gente muito humilde com roupas surradas, chinelinhos idem... gente super bem vestida cheia de pompa, crianças, idosos, mães gritando com filhos, gente super impaciente com a fila, gente contando os minutos pro feriado chegar, enfim... pude ouvir a conversa de muita gente... ah, sei que é feio ouvir conversa dos outros mas esqueci meu iPod, tinha que me distrair com alguma coisa rss....

Alguns trechos de algumas conversas:
"- Fui na casa dela ontem e ela me disse que o namorado tinha acabado de sair. Falei foda-se, quero te comer. Aí ela ficou louca quando eu disse isso e mandei ver. Comi ela brow. A mina é mó safada". Alias esse garoto fez questao de dizer pro banco inteiro que comeu a garota tamanho era seu tom de voz...

"- O Brasil tá assim por causa do Lula. Ele que fez essa bagunça toda. Por isso que o Banco do Brasil tá assim. Lula é isso, Lula é aquilo...." E por aí continuou por vaaaaaarios minutos...

"- A idade penal tem que diminuir pra 12 anos. Você vê aí moleque de 13, 14 anos que já matou mais de 10. Não existe criança mais não. É tudo bandido. Tem que tratar esses moleques como adulto mesmo".

Tirando o diálogo 1 em que o garoto falava com um amigo, os outros 2 e vários outros foram de pessoas que tinham se conhecido ali na fila do banco, naquele momento. As vezes sinto certa inveja de pessoas assim, que tem capacidade de puxar assunto com alguém que não conhecem e ficar conversando horas e horas sobre nada.

Espero não voltar a banco tão cedo rss... Bom feriado a todos!

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Não basta apagar o fogo

Recebi este email com esta foto e decidi compartilhar:

Foto da Frente de Combate ao Incêndio da Austrália.

"Quem não entende um olhar, muito menos entenderá uma longa explicação..."

Essa é uma das imagens mais lindas que já vi! Olha a troca: o olhar... o gesto... maravilhoso!

O universo é um, não importa se somos um monte de átomos que forma a espécie (animal) humana, vegetal, estrelar... somos poeira atômica do mesmo sistema, do mesmo universo, não somos nem mais nem menos. O que nos faz maior ou menor é isso, esse gesto lindo que vem da chama divina que cada um possui mais ou menos acesa... alguns esquecem ou desconhecem que a possuem, dentro de si.

Bom final de semana a todos!

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Por hoje...


Hoje eu acordei diferente. Não sei explicar como, apenas diferente. Decidi prestar atenção nas pequenas coisas da vida e esquecer as outras. Acordei e estava chovendo (ainda está). Resolvi não pensar que o trânsito para o trabalho estaria um inferno por causa da chuva. Resolvi apenas prestar atenção na chuva e ver a maravilha que ela pode ser. No caminho para o trabalho, prestei atenção no mar, nas ondas... enquanto escrevo continuo prestando atenção na chuva, num navio que se aproxima da Baía de Vitória e outras coisas que compõem a paisagem.

Chega de viver nesse ritmo frenético de casa-trabalho-curso de idiomas-academia-casa-trabalho-curso de idiomas-academia-casa-trabalho e por aí segue... o mundo ficou rápido demais, insensível demais. Quando foi a última vez que você cheirou o perfume de uma flor? Quando foi que contemplou o nascer do Sol pela última vez? (não vale dizer que foi quando estava saindo da boate com o dia já clareando hehehe), quando foi a última vez que colocou seus pés na grama?

Enfim, por hoje não quero saber de grandes projetos, de grandes acontecimentos. Quero o simples. Se pararmos pra pensar veremos que o que realmente importa na vida são as pequeninas coisas, que nos dão prazer e que lembraremos para sempre.

Hoje quero lembrar da chuva caindo, do sorriso da minha mãe ao entrar no meu quarto com meu café-da-manhã (sim, eu sou mimado hehehe), do pão-de-queijo com chocolate quente do fim da tarde, desse friozinho que faz agora e que da vontade de estar com alguém junto abraçadinho.

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

Quem sabe então assim, você repara em mim?


De volta ao trabalho depois de 3 dias em casa de molho... sem brincadeira devo ter visto uns 10 filmes hehehe. Depois de um dia vendo como anda a programação das tardes na TV brasileira tive que correr para filmes que baixei e nunca tinha tempo para vê-los...

Mudando de assunto, em mais uma rodada de pizza no Senado, os seguintes senadores votaram a favor pelo arquivamento dos processos contra o coronel José Sarney: Wellington Salgado (PMDB-MG), Almeida Lima (PMDB-SE), Gilvan Borges (PMDB-AP), João Pedro (PT-AM), Ideli Salvati (PT-SC), Delcídio Amaral (PT-MS), Inácio Arruda (PCdoB-CE), Gim Argello (PTB-DF) e Romeu Tuma (PTB-SP). Se você é de um dos estados desses senadores, lembrem-se deles nas eleições do ano que vem e analise o que fizeram durante seus mandatos antes de você decidir votar neles novamente ou não...

Mudando de assunto de novo, posto uma música que estou ouvindo demais ultimamente... novas emoções e transformações chegando.... será?

Nua (Ana Carolina)

Olho a cidade ao redor
E nada me interessa

Eu finjo ter calma
A solidão me apressa

Tantos caminhos sem fim
De onde você não vem
Meu coração na curva
Batendo a mais de cem

Eu vou sair nessas horas de confusão
Gritando seu nome entre os carros que vêm e vão
Quem sabe então assim
Você repara em mim


Corro de te esperar

De nunca te esquecer

As estrelas me encontram
Antes de anoitecer

Olho a cidade ao redor
Eu nunca volto atrás

Já não escondo a pressa
Já me escondi demais

Eu vou contar pra todo mundo

Eu vou pichar sua rua

Vou bater na sua porta de noite
Completamente nua
Quem sabe então assim
Você repara em mim

domingo, 16 de agosto de 2009

Globo X Record

Desde terça-feira passada, estamos presenciando diariamente mais um round na guerra entre a TV Globo e a TV Record em seus respectivos telejornais. A Globo mostra as denúncias acatadas pela Justiça contra Edir Macedo e sua quadrilha da Igreja Universal e, a Record, em contrapartida, mostra a podridão por trás do império da família Marinho.

Edir Macedo e cia. usando dinheiro dos fiéis para enriquecimento ilícito, Roberto Marinho e sua ligação com o governo militar para obter o monopólio das Comunicações no Brasil, fiéis sendo enganados por pastores da Universal, a manipulação de fatos e notícias como o famoso favorecimento da Globo no debate presidencial à Fernando Collor de Melo nas eleições de 89, vídeo de 95 em que Edir Macedo ensina como pegar dinheiro dos fiéis, milhões de dolares que a Globo pegou emprestado do BNDES para pagamento de dívidas...

E o que eu acho disso? Acho ótimo. Adoro quando dois bandidões se enfrentam assim... Todo mundo sabe que a Globo, de santa, nada tem e a Record muito menos, então eles que se entendam ou não hehehe.

Para terminar, uma piadinha pra começar bem a semana rss:

CD da Alanis Morissette - R$ 40,00
Camisa Oficial do Flamengo - R$ 170,00
Ver Celso Freitas, Ana Paula Padrão, Adriana Araújo (todos ex-Globo) tendo que dizer que Edir Macedo é bonzinho e que a Igreja Universal é ótima nos telejornais... não tem preço huahuahuahuha

Boa semana a todos!

terça-feira, 11 de agosto de 2009

O Divã - parte II


Desculpem minha ausência tanto em postar por aqui como comentar nos blogs amigos... o trabalho consome todo o meu ser ultimamente hehehe... e sem falar que estou passando por um momento de mudanças em minha vida... mudanças para melhor :)

No post do dia 20 de abril deste ano (http://caioabreumarques.blogspot.com/2009/04/o-diva.html) discutia a relação psicólogo-paciente e cheguei até a questionar a atitude dos psicólogos perante suas próprias vidas. Meu primo que está se formando em Psicologia discordou de alguns pontos que abordei no post (ele defendeu a classe dele, claro hehehe)... mas o fato é que mordi a língua e faço uma reparação aos terapeutas pois no mês seguinte comecei a ter algumas sessões com um terapeuta em BH... e cada sessão eu resolvi falar tudo que nunca falei pra ninguém. E foi muito revelador.

Impressionante como pequeninas coisas que acontecem na sua infância e você, por ser criança, super dimensiona o fato e acaba carregando este incômodo pelo resto da sua vida e como coisas que aconteceram na infância influenciam a sua maneira de lidar e até de se relacionar com as pessoas...

Vasculhando o baú fechado da minha mente e meus sentimentos durante as sessões pude resignificar e olhar com outros olhos fatos e pessoas do meu convívio. Não vou dar muitos detalhes dos meus conflitos internos e externos pois ainda não sou seguro o suficiente para expor assim na internet hehehe, mas digamos que estou renascendo, descobrindo e redescobrindo tantas outras.

Um novo Caio está renascendo em mim e estou muito feliz por isso!

Bom restinho de semana a todos!

quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Muda-se o mundo mudando o homem

Como disse e fiz no mês anterior, todo mês vou publicar aqui também os artigos que minha mãe escreve mensalmente para o jornal A Tribuna, daqui do ES. Gostaria de compartilhar não só com quem é daqui do ES, mas também para meus amigos de blogsfera do Brasil e do mundo também. Filho coruja é assim hehehe. Segue o artigo de hoje:

Muda-se o Mundo Mudando o Homem

Existe uma metáfora famosa na Índia: Jesus estava entediado, então foi falar com Deus: "Pai, aprecio a vida contemplativa, mas acho que posso fazer mais pela humanidade". Prontamente, Deus lhe deu uma tarefa: "Pegue uma lima e alise o topo do Himalaia". Depois de sete mil anos, com a tarefa cumprida, Jesus voltou e novamente perguntou ao Pai: "E agora, o que posso fazer?"

Deus então deu a Jesus uma colher e pediu que ele esvaziasse o Oceano Índico. A missão parecia impossível, mas Jesus não se deu por vencido. Após sete mil anos de trabalho perseverante, foi novamente ao Pai: "Está feito, e agora?"

Deus então olhou para Jesus e lhe disse: "ouça meu filho, agora você vai descer à Terra e convencer os homens de lá a amarem uns aos outros - isso irá mantê-lo ocupado por toda a eternidade!"

O ser humano tem brilhado em todas as atividades. São inegáveis os avanços na ciência e na tecnologia - até gente já se faz em laboratório! Mas inexplicavelmente cada dia nos revelamos incompetentes na arte de amar. Todos querem ser amados, mas ninguém se dispõe a dar amor.

Esse amor necessitado, fechado em si mesmo, não é uma simples manifestação do egoísmo humano. A coisa é mais séria e tem suas raízes na educação.

Na escola, a criança aprende português, matemática, informática, etc, mas pouquíssima coisa sobre amor, gratidão, lealdade... aprende a conhecer o mundo, mas não a si mesma. Quando essa criança toma contato com a religião, aí então é que a coisa complica, porque começam a ensinar a ela que é preciso amar o próximo como a si mesma. Como praticar o ensinamento do mestre se ela não se ama e nem mesmo sabe quem é?

O ensino tradicional insiste na supremacia do cérebro e do intelecto - é a exaltação do mundo exterior, do que é passageiro. O conhecimento científico é despejado nas crianças como se todas fossem iguais. Nenhuma atenção se dá à individualidade e ao coração, sede das emoções.

O que o homem conquistou na ciência e na tecnologia melhorou as nossas condições materiais de vida, não há a menor dúvida. O que precisamos agora é priorizar o coração, promovendo a educação espiritual, fundamentada em cinco valores humanos - verdade, ação correta, paz, amor e não-violência.

Tenho me esforçado para conscientizar administradores públicos sobre a importância do Programa de Educação em Valores Humanos, desenvolvido com sucesso em mais de 130 países da Europa e da Ásia. O modelo é simples e não requer custos para os cofres públicos - talvez seja esta a razão de algumas resistências.

O modelo atual é cheio de licitações, movimenta fortunas na construção de prédios, compra de equipamentos, enquanto a Educação em Valores Humanos aponta para um único investimento: a valorização do professor, que hoje vive uma situação absurda: é mal pago e muito exigido.

Perguntaram a Platão o que ele achava de Péricles, o governante que promoveu espetacular crescimento na economia da Grécia. O filósofo sentenciou: Não é um bom político! Para justificar sua opinião, perguntou: o que Péricles fez pelo crescimento das pessoas? Nada, disseram seus interlocutores. Platão então concluiu: a verdadeira política é aquela fundamentada na promoção humana, bom político é aquele que sabe gerar felicidade.

Só se muda o mundo mudando o coração do homem.

Jane Mary de Abreu é jornalista e consultora de marketing

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Back to life


Toda vez que faço uma pequena viagem, nem que seja por poucos dias, quando volto me dá uma preguiça de retornar com a rotina de trabalho... cheguei ontem de BH, onde fiquei 4 dias. Nunca imaginei que a capital mineira fosse tão interessante hehehe... Foi a quarta vez que fui a BH mas sempre de passagem, nunca passei dias pra curtir a cidade e desta vez consegui... mas prometi para mim mesmo que da próxima vez conhecerei BH à luz do dia e não apenas os 23847782 bares e 4291841 boates na Savassi e redondezas hehehe. Preciso voltar a namorar e largar essa vida boêmia!!! huahuhauahuah

Definitivamente o sotaque de Minas é o terceiro mais charmoso do Brasil. Só perde pro sotaque carioca e gaúcho. Só teve uma coisa que me deixou estressado em BH: quem teve a brilhante ideia de construir uma cidade no meio de tantos morros, ladeiras e afins? Quem passa no exame de trânsito em BH, passa em qualquer lugar. Andar pela cidade é uma malhação de pernas. Com tantas ladeiras, nem precisa de academia hehehe.

Bom, deixa eu voltar pra minha rotina... de volta ao trabalho hehehe. Boa semana a todos!

quinta-feira, 30 de julho de 2009

Fundamentalismo na Net


Finde chegando, vou pra BH trabalhar e como não sou bobo vou aproveitar e curtir a noite na capital mineira também porque eu mereço hehehe. Mas antes, navegando pelo mundo da blogsfera tive a infeliz ideia de clicar no blog dessa pessoa aí da foto. O nome dela? Cleycianne. (!?) Sim, isso mesmo... Cleycianne rss. O blog dela? http://cleycianne.blogspot.com.

Se você estiver com muita raiva do seu chefe, por exemplo, e não pode mandá-lo pra aquele lugar, vá no blog dessa mulher que segundo ela, é "cristã e sabe o que é certo". Lá, já aviso que você passará muita raiva por causa das coisas que ela diz. Coisas absurdas e preconceituosas. Mas como você não pode descarregar sua raiva no chefe, descarregue nessa fulana aí.

Pena que certas pessoas usem a internet pra divulgar o ódio e impor suas verdades e se julgam superiores aos outros por acharem que encontraram o caminho. Fundamentalistas religiosos não são apenas alguns grupos de mulçumanos. Em cada esquina, em cada igreja encontramos vários deles com suas verdades, prontos para exterminar quem não se enquadra.

Desconfie de quem tem muito Jesus na boca. É porque falta no coração. Ainda sonho por um dia em que esses "cristãos" vão aplicar na prática o que Jesus nos ensinou e não utilizarão a Bíblia ou qualquer outro livro religioso apenas como desodorante e forma de dominação das massas.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

Obrigado por não fumar

No dia 18 de setembro entra em vigor a lei que proíbe o consumo de cigarros, cigarrilhas, cachimbos ou qualquer outro produto fumígeno em ambientes de uso coletivo, públicos ou privados, exceto em áreas exclusivamente destinadas a esse fim, devidamente isoladas e com arejamento conveniente.

Até que enfim uma lei que preste. Bom saber que deputado não serve só para dar nome de rua e rodovias... Acho que esse tipo de lei já existe em São Paulo, mas aqui no ES só em setembro, para meu alívio e de muita gente também. Nada contra os fumantes mas acho um absurdo eles fumarem em lugares fechados expondo todos àquela fumaça e fedor de cigarro. Muitos restaurantes, prédios públicos e outros ambientes fechados já é proibido fumar... faltava a lei chegar nos bares e boates.

Finalmente vou poder voltar da noitada, da boate sem minha roupa e cabelo estarem fedendo a cigarro.

domingo, 26 de julho de 2009

A Viagem


Após passar pela 15 cirurgia em mais de 10 anos na luta contra um câncer, o vice-presidente José de Alencar ainda resiste. Que apego à vida e resistência a morrer tem o nosso vice-presidente. Vale mesmo a pena passar por todo esse sofrimento? Digo isso porque eu, no lugar dele, já teria desistido há muito tempo. Não porque não dou valor à vida, não é isso e sim, pelo fato de que outras vidas virão.

Se uma doença grave como o câncer me atingisse (Deus me livre) hoje com meus 27 anos, claro que me esforçaria para combatê-la pois ainda gostaria de viver muita coisa mas se eu já estivesse com mais de 60, 70 anos, (José Alencar tem 77) não lutaria de jeito nenhum. Não encararia sessões de quimioterapia, os vômitos, as dores e todas outras reações que ela provoca. Aceitaria a enfermidade e me prepararia para partir, afinal de contas, passou dos 70 anos, para mim, é fazer hora extra na Terra.

Talvez nosso vice-presidente não acredite em reencarnação, vida após a morte, etc... daí a resistência. Talvez ele ache que morreu, morreu, vira pó e acabou. Talvez lendo isso, você ache que eu lido com a morte super bem. Engano seu. A morte é um assunto difícil de lidar. Sabemos que um dia todos morreremos mas ninguém está pronto quando ela chega, ainda mais se a pessoa que vai é criança ou jovem... mas o Budismo me ensinou bastante coisa a respeito dela e me fez ter menos medo da morte e vê-la com outros olhos.

Hoje temos cursos e mais cursos de como falar em público, como ser bem sucedido, como melhorar sua auto-estima, como ser um empreendedor, etc, etc... acho que falta um curso de como ensinar ou se preparar para morrer... pois nossa cultura não está preparada pra ela e sempre a associa com o fim. Nesse quesito acho algumas culturas orientais mais preparadas pra isso...

"A vida precisa ser renovada. A morte é a mudança que estabelece a renovação. Quando alguém parte, muitas coisas se modificam na estrutura dos que ficam e, sendo uma lei natural, ela é sempre um bem, muito embora as pessoas não queiram aceitar isso. Nada é mais inútil e machuca mais do que a revolta. Lembre-se de que nós não temos nenhum poder sobre a vida ou a morte. Ela é irremediável.


O inconformismo, a lamentação, a evocação reiterada de quem se foi, a tristeza e a dor podem alcançar a alma de quem partiu e dificultar-lhe a adaptação na nova vida. Ele também sente a sensação da perda, a necessidade de seguir adiante, mas não consegue devido aos pensamentos dos que ficaram, a sua tristeza e a sua dor.


Se ele não consegue vencer esse momento difícil, volta ao lar que deixou e fica ali, misturando as lágrimas, sem forças para seguir adiante, numa simbiose que aumenta a infelicidade de todos.
Pense nisso. Por mais que esteja sofrendo a separação, se alguém que você ama já partiu, libere-o agora. Recolha-se a um lugar tranqüilo, visualize essa pessoa em sua frente, abrace-a, diga-lhe tudo que seu coração sente. Fale do quanto a ama e do bem que lhe deseja. Despeça-se dela com alegria, e quando recorda-la, veja-a feliz e refeita. A morte não é o fim. A separação é temporária. Deixe-a seguir adiante e permita-se viver em paz.

A morte é só uma mudança de estado.
Depois dela, passamos a viver em outra dimensão"

Zíbia Gasparetto

sexta-feira, 24 de julho de 2009

O País da Piada Pronta


Li ontem num jornal: Mulher Melão e Kleber Bambam vão tentar se eleger nas eleições de 2010. A dúvida é que eles ainda não decidiram se concorrerão para deputado estadual ou federal...

Ta difícil viu? Não temos para onde correr... de um lado, o coronel José Sarney que acha que o dinheiro público serve para sustentar sua numerosa família no Maranhão e no Senado. Por outro, a cada eleição surgem mais aventureiros querendo a carreira política.

Lula diz que não lê jornal porque ele quer evitar ter azia logo de manhã. Pois é, eu não chego a ter azia, mas tenho nojo todo dia que leio a editoria de política nos jornais. E já que trabalho com isso, tenho que ler todo dia qual a piada ou a sujeira da vez tanto na política nacional como aqui no Estado.

Disse uma vez e reafirmo: ano que vem teremos eleições para deputados, governador, senadores e presidente e os mesmos palhaços do circo atual vão se reeleger sim! Alguém duvida disso? Lembro como se fosse ontem o escândalo do mensalão e apresentadores de tv se mostrando indignados e dizendo que agora o povo estava acompanhando e que iria punir no voto os supostos envolvidos no esquema. O escândalo do mensalão foi em 2005. Tivemos eleições em 2006 e 2008... alguém foi punido de fato? Quando o ex-presidente do Senado Renan Calheiros foi absolvido, mais indignação por parte da imprensa... nada como o tempo e hoje o senador de Alagoas está tão forte como antes...

Tem razão o deputado que disse recentemente que está se lixando pra opinião pública. Eles já perceberam que nada acontece com eles. O povo não está nem aí pra o que eles fazem ou deixam de fazer. A grande maioria prefere dizer: "não gosto de política". Pois é... já que os eleitores não gostam de política, não demonstram interesse, por que os políticos têm que demonstrar interesse pelos eleitores?

Você se lembra em quem votou para deputado estadual, federal, senador, governador e presidente em 2006? Você acompanha o trabalho deles na Assembléia ou no Congresso Nacional? Não quero ser chato, mas estou com 27 anos, meu primeiro voto foi aos 16 em 1998. Lembro em quem eu votei em todas as eleições. Lembro em quem eu votei em 98, 2000, 2002, 2004, 2006 e 2008. Digo isso porque recentemente num curso que estava fazendo o assunto política surgiu e resolvi perguntar se eles lembravam em quem eles votaram em 2008 e mais da metade tinham esquecido. Tivemos eleições há menos de um ano e foi tempo suficiente pras pessoas esquecerem em quem tinham votado! Então, que moral eles tem de reclamar, exigir isso ou aquilo do poder público se nem lembram em quem votaram pra representá-los?

É muito fácil botar a culpa nos políticos, atirar pedras, criticar, etc... torço pelo fim de coronéis da política brasileira como José Sarney, mas a população tem grande parte de responsabilidade desse caos todo sim! Continuo acreditando naquela frase: "cada país tem o governante que merece" e os políticos nada mais são do que um espelho da população.

Cabe a cada um de nós mudar isso. Desculpem o desabafo mas não sei se é porque convivo com políticos desde criança e agora trabalho com eles que estou assim tão descrente da população, da política em geral... mas tenho a leve impressão que há uma grande chance de Mulher Melão e Kleber Bambam (meu Deus, qual contribuição essas mentes podem dar à política do Brasil?) serem eleitos.

Quer saber? Vou me embora para Pasárgada...

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Amigos


Hoje é Dia Internacional do Amigo. Pessoas que elegemos para fazer nosso caminho aqui na Terra mais prazeiroso. Pessoas que compartilhamos nossas alegrias, nossas tristezas, aquele(a) que você liga às 3 da manhã pra chorar as pitangas ou pra chamar pra ir beber num bar hehehe. Pessoas que se tornam parte da sua família.

As fotos acima sou eu com meus amigos mais próximos. É uma pequena homenagem que presto a eles. Alguns eu conheço há 1 ano, outros há 5, tem uma que é minha melhor amiga e a conheço desde os 3 anos de idade! Com essa eu realmente compartilho tudo hehehe. E não importa se alguns moram em Vitória, outros no Rio e outro nos EUA. O que sinto por vocês, nenhuma distância é capaz de mudar!

Ah, e não posso esquecer dos meus amigos de net, msn, blogsfera, etc. Graças à essas ferramentas pude conhecer, mesmo que virtualmente, pessoas maravilhosas. Fica aqui registrado meu carinho por cada um de vocês também.

Pra terminar, uma música em homenagem aos amigos:

You´ve Got A Friend (James Taylor)

Quando você estiver abatida(o) e preocupada(o)
E precisar de uma ajuda,
E nada, nada estiver dando certo,
Feche seus olhos e pense em mim
E logo eu estarei lá
Para iluminar até mesmo suas noites mais sombrias.

Apenas chame alto meu nome
E você sabe, onde quer que eu esteja
Eu virei correndo
Para te encontrar novamente.
Inverno, primavera, verão ou outono,
Tudo que você tem de fazer é chamar.
E eu estarei lá, sim, sim, sim,
Você tem um amigo.

Se o céu acima de você
Tornar-se escuro e cheio de nuvens
E aquele antigo vento norte começar a soprar,
Mantenha sua cabeça sã e chame meu nome em voz alta
E logo eu estarei batendo na sua porta.
Apenas chame meu nome
E você sabe, onde quer que eu esteja
Eu virei correndo para te encontrar novamente.
Inverno, primavera, verão ou outono,
Tudo que você tem de fazer é chamar
E eu estarei lá, sim, sim, sim.

Ei, não é bom saber que você tem um amigo?
As pessoas podem ser tão frias,
Elas te magoarão e te abandonarão
E então elas tomarão sua alma se você permitir-lhes.
Oh, sim, mas não permita-lhes.

Apenas chame alto meu nome
E você sabe, onde quer que eu esteja
Eu virei correndo para te encontrar novamente.
Você não entende que
Inverno, primavera, verão ou outono,
Ei, agora tudo que você tem a fazer é chamar?
Senhor, eu estarei lá, sim eu estarei,
Você tem um amigo,
Você tem um amigo.
Não é bom saber? Você tem um amigo...
Não é bom saber? Você tem um amigo...
Você tem um amigo...

sexta-feira, 17 de julho de 2009

No Mundo da Lua


No próximo dia 20, fará 40 anos que o homem supostamente pisou em solo lunar. Por que supostamente? Porque eu não acredito. Pronto falei! rss

Sim, faço parte da minoria que duvida que o homem conseguiu pisar na Lua. Não vou ficar falando das teorias conspiratórias, da bandeira que se mexe, da sombra dos astronautas nem da pegada do Armstrong. Para me convencer, bastou o seguinte argumento: por que esta viagem não foi feita outras vezes? Depois da Apolo XI, tiveram outras Apolos, mas não pousaram na Lua.

Em 1969 estávamos no auge da Guerra Fria e todo mundo sabe que esta guerra não foi um confronto militar direto entre EUA e URSS e sim, uma guerra ideológia. As duas únicas superpotências da época brigando pela influência no mundo, no caso capitalismo X comunismo.

E digamos que antes da Apolo XI, quem estava com "mais moral" na época eram os comunistas pois em 1961, a bordo da nave Vostok 1, a URSS manda pro espaço Yuri Gagarin, fazendo dele o primeiro ser humano a ir pra fora da Terra. É dele a frase: "a Terra é azul, mas não há Deus".

Os EUA, em retaliação, precisavam de algo maior do que "apenas" dar uma volta completa na órbita da Terra como o cosmonauta russo fez. Teriam que ir a Lua - algo que já habitava o imaginário de nossa civilização desde os egípicios, os gregos antigos... se desse certo, ótimo pra eles... fariam algo maior do que os soviéticos e tomariam a ponta na corrida espacial. Se desse errado, que se invente então. E acho que foi isso que aconteceu.

Recentemente, Japão, China e Rússia anunciaram interesse em mandar seus astronautas para uma missão na Lua como supostamente (hehehe) aconteceu em 1969. Se eles conseguirem, aí poderemos tirar as dúvidas e acabar com as teorias conspiratórias se Neil Amstrong pisou ou não na Lua. Até lá, continuo acreditando que os EUA armaram esta viagem para derrotar a URSS e aumentar seu poder de influência no mundo.